• Agência Ouriço

Mulheres que Inspiram Gerações



Hoje, 8 de março, é comemorado o Dia Internacional da Mulher.


A data foi criada como uma maneira de relembrar anualmente a luta das mulheres em defesa da igualdade de direitos civis e em favor do voto feminino. A luta, infelizmente, ainda precisa continuar e não faltam mulheres inspiradoras que mostram todos os dias o poder que possuem.


Nesse dia especial, trouxemos para vocês um pouquinho da história de 5 mulheres que mudaram o mundo!
  • MULHER SEMPRE FEZ CIÊNCIA E MARIE CURIE É A PROVA DISSO!

Ela nasceu no dia 7 de novembro de 1867 em Varsóvia, na Polônia, e foi a caçula de 5 irmãos. Sua mãe era pedagoga e seu pai matemático, ambos professores. Quando mais velha, Marie buscou fazer ensino superior, mas acabou sendo impedida por ser mulher. Somente em 1891 ela se muda para Paris e consegue cursar física, química e matemática na universidade.


Lá ela conhece Pierre Curie e eles se casam. Juntos, iniciam a pesquisa sobre radioatividade, termo criado por ela, a partir dos estudos de Henri Becquerel. O trabalho dos três resultou no Prêmio Nobel de Física e Marie Curie se tornou a primeira mulher a recebê-lo.


Depois, sozinha, ela continuou as pesquisas e descobriu dois elementos, rádio e polônio. Sua descoberta a fez ganhar mais um Prêmio Nobel, desta vez em Química. Foi a primeira pessoa a ganhar dois Prêmios Nobels na área científica.


Sua generosidade a fez distribuir o prêmio com pessoas que passavam por dificuldades, assim como ela passou quando mais jovem.

  • ATOS QUE MUDAM O MUNDO!

Rosa Parks ficou conhecida por sua atitude corajosa e revolucionária quando voltava de seu trabalho.


Ela morava em Montgomery, capital do Estado de Alabama, no Sul dos Estados Unidos, um dos locais que mais ocorreram casos de racismo e segregação racial. Na época, os primeiros lugares do ônibus eram reservados a pessoas brancas.


No dia 1 de dezembro de 1955, Rosa estava voltando para casa e escolheu um assento no meio no ônibus. Alguns brancos entraram e ficaram de pé, fazendo o motorista exigir que os negros se levantem e fossem para o fundo do ônibus. As outras pessoas negras fizeram isso, mas não Rosa.


Ela permaneceu sentada.


A polícia foi chamada e ela foi detida. Sua prisão causou manifestações, boicote à empresa e fez com que diversas pessoas se engajarem no movimento. Uma delas, o reverendo Martin Luther King.


Após 382 dias, finalmente os ativistas conseguiram tornar a segregação inconstitucional. Foi primeiro movimento negro contra a segregação a alcançar a vitória nos EUA.

  • A LUTA DA MULHER NEGRA BRASILEIRA!

Os quilombos são importantes símbolos de resistência negra no Brasil. Um dos mais famosos é o Quilombo dos Palmares, cujo seu líder era Zumbi.


Dandara foi esposa de Zumbi e uma das principais lideranças femininas negras que lutaram contra a escravidão no século XVII. Não se tem registros de seu nascimento, ou de como era seu rosto, mas sua luta serve de inspiração até hoje.


Na comunidade do quilombo ela preferia participar da plantação, da produção de farinha de mandioca e da caça — não gostava muito dos afazeres domésticos. Aprendeu a lutar capoeira e utilizar armas, e quando adulta liderava as falanges femininas do exército negro palmarino.


Dandara buscava a liberdade e não media esforços para alcançá-la. Venceu várias batalhas e até sugeriu a invasão da cidade de Recife, mostrando sua valentia frente às opressões.

  • MENINAS TAMBÉM LUTAM POR SEUS DIREITOS!

Malala Yousafzai nasceu no Vale do Swat, no norte do Paquistão, local onde o nascimento de meninas nunca é celebrado e as meninas são obrigadas a casar cedo, passando a maior parte da vida em casa cuidando do marido e dos filhos. Felizmente, a família de Malala sempre apoiou sua vontade de estudar e ir além.


Em 2007, o Talibã invadiu o território onde ela e sua família moravam. As escolas foram ordenadas a fechar, sendo uma delas a escola em que seu pai era dono e onde ela frequentava. Malala passou a esconder o uniforme na mochila para continuar estudando e também mantinha um blog em que falava sobre os direitos das mulheres.


Ela começou a ficar conhecida por seu ativismo e, apesar do governo expulsar os Talibãs, as milícias ainda rondavam o território. Então, dia 9 de outubro de 2012, enquanto voltava da escola, membros da milícia pararam o ônibus e procuraram por ela.


Ela foi reconhecida e levou três tiros em sua cabeça.


Ela foi socorrida, sobreviveu e sua família se mudou para a Inglaterra. Sua luta pela educação foi tema de seu discurso na ONU em 2013 e sua autobiografia “Eu Sou Malala”, escrita por Christina Lamb, rendeu 7 milhões de reais — todo o dinheiro foi colocado em um fundo para incentivar a educação de jovens paquistanesas.


Malala recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2014, com 17 anos, se tornando a mais jovem pessoa a recebê-lo.

Greta Thunberg, por sua vez, é uma ativista ambiental sueca de 17 anos conhecida por ter protestado fora do prédio do parlamento sueco, e por ser a líder do movimento “Greve das escolas pelo clima”. Há exatamente 1 ano, ela ganhou o prêmio de Mulher Sueca do Ano pela Swedish Women's Educational Association e em dezembro de 2019 (aos 16 anos), foi escolhida como Pessoa do Ano pela revista americana Time, sendo a pessoa mais jovem a ser indicada ao título.


Greta aproveita a sua visibilidade nas redes sociais (ela soma mais de 10 milhões de seguidores só no Instagram) para continuar falando sobre causas ambientais e inspirar milhares de pessoas mundo afora!

Histórias marcantes e mulheres inspiradoras. Essa data é sobre isso, homenagear a luta diária de tantas mulheres que fazem do mundo um lugar melhor e mais igualitário.


Feliz Dia Internacional da Mulher!

CONTATO

Rua Bernardo Guimarães, 245, 5º andar - Funcionários | BH/MG

 (31) 3500-5427

  • Branca Ícone Instagram

© 2020 feito por Ouriço